Danuncia Urban

Biografia

Danuncia Urban nasceu em Curitiba, Paraná, em 13 de maio de 1933, filha dos imigrantes poloneses Felix Urban e Maria Victoria Dolinski. Dos seus 80 anos de vida, 60 foram dedicados à Biologia, em especial a Entomologia, o estudo dos insetos. Como cientista, foi uma das primeiras brasileiras na área de Zoologia, tornando-se uma grande taxonomista tanto pela quantidade de novas espécies descritas, quanto pela qualidade dos seus trabalhos.¹

Desde o início do curso de História Natural na Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 1951, Danuncia demonstrou interesse pela Zoologia. Como excelente aluna, chamou a atenção do Professor Padre Jesus Santiago Moure (1912-2010), que a convidou para desenvolver um estudo sobre aves nativas do Paraná, com apoio do Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico (CNPq). Em conjunto com duas colegas, entre 1953 e 1959, ela se dedicou a taxonomia de falcões e pombas do Paraná, que foi seu primeiro contato com a pesquisa taxonômica.¹

Em 1954, Danuncia Urban foi contratada como laboratorista no Departamento de Zoologia da UFPR e, ao mesmo tempo, passou a dedicar-se à pesquisa com as abelhas, sob a orientação de Moure. Na década de 1960 ela publicou seus primeiros trabalhos, tornando-se professora da UFPR em 1965. Ela participou na criação dos cursos de Pós-Graduação em Entomologia e Zoologia, na UFPR, nos anos de 1969 e 1974, respectivamente. Em 1995, foi reconhecida como Doutor Honoris Causa pela UFPR.¹

Sua carreira como Entomóloga, especialista no estudo dos insetos, foi voltada principalmente para a taxonomia de abelhas, através da classificação, reconhecimento e nomeação das espécies. Danuncia está entre os três maiores taxonomistas contemporâneos dedicados ao estudo das abelhas em número de novas espécies descobertas: ela descreveu mais de 20 novos gêneros e de 300 novas espécies. Sua contribuição ao conhecimento da biodiversidade do Brasil e das Américas, tornou-a a maior pesquisadora nesta área.¹

Danuncia Urban publicou mais de 100 artigos científicos, 11 capítulos de livros, além de ter organizado o “Catálogo das Abelhas na Região Neotropical”, uma referência para o assunto na atualidade. Foi agraciada com o Diploma de Honra ao Mérito, em 2004, e com o Prêmio Alexandre Rodrigues Ferreira, em 2010, ambos da Sociedade Brasileira de Zoologia, em reconhecimento ao trabalho prestado por ela na área. Um livro em sua homenagem foi organizado por pesquisadores da UnB, UFPR e USP, e foi publicado pela editora da UFPR em 2014. Contendo mais de vinte artigos de cientistas brasileiros e estrangeiros, com novas descobertas no estudo das abelhas, o livro inclui a descoberta de novas espécies, nomeadas em sua homenagem.¹

Danuncia dedicou sua vida à pesquisa, contrapondo-se às normas sociais de seu tempo. Danuncia aposentou-se como professora em 1991, mas ainda trabalha de segunda à sexta-feira na universidade. Sua alegria e simpatia, e seu comprometimento com a pesquisa são características marcantes.¹

Datas:

Data de Nascimento:
13/5/1933
Falecimento:
Sem informação
Idade aproximada: 84 anos

Area de Atuação:

Taxonomia de Abelhas
Danuncia Urban