Almério de Castro Gomes

Biografia

Natural do Piauí,  graduou-se em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ),  em 1969. O professor publicou 92 artigos completos publicados em periódicos e 52 trabalhos divulgados em encontros científicos. Também contribuiu com produções técnicas, participações em bancas, palestras, conferências, entre outros. Orientou 16 Mestrados e oito Doutorados. Realizou pesquisas na área da epidemiologia, mais especificamente sobre a ecologia dos agentes das leishmanioses e sobre o mosquito da dengue (Aedes aegypti).

Na FSP (Faculdade de Saúde Pública), formou-se em Entomologia Epidemiológica (1972) e Especialização em Saúde Pública (1975). Incorporou-se à equipe de Entomologia Médica sob a liderança do professor Oswaldo Paulo Forattini, tornando-se professor a partir de 1977. Alcançou os títulos de Mestre (1975), Doutor (1979) e de Livre-Docente (1985). Em 1992 tornou-se Professor Titular. Chefiou duas vezes o Departamento de Epidemiologia da FSP. Casado, Castro Gomes era pai de dois filhos.

Incorporou-se à equipe de Entomologia Médica sob a liderança do Prof. Oswaldo Paulo Forattini, tornando-se docente da FSP a partir de 1977. Impulsionado pelo experiente Mestre, aqui desenvolveu toda sua carreira acadêmica ao conquistar os títulos de Mestre (1975), de Doutor (1979) e de Livre-Docência (1985). Em 1992 chegou ao patamar de sua carreira ao adquirir o vínculo de Professor Titular.

Suas teses versaram sobre a ecologia dos vetores dos agentes das leishmanioses e sobre a epidemiologia desse conjunto de doenças. Vencidas as etapas acadêmicas, em decorrência do agravamento da dengue no país, abraçou com todo o empenho o estudo do mosquito Aedes aegypti e sua vigilância – esforço que gerou inúmeras publicações. Sobre esse tema, convidado como colaborador do Ministério da Saúde, trouxe vasta contribuição na luta contra a dengue.

Foram inúmeras as vezes em que fora a Brasília para opinar sobre as estratégias a serem tomadas na prevenção de epidemias e no alastramento do vetor pelo vasto território do país. Nesse sentido, ao viajar de Estado a Estado, não mediu esforços ao participar efetivamente no aperfeiçoamento do sistema nacional de vigilância do vetor, proferindo palestras e cursos.

Nessas oportunidades, ensinava sempre alternativas inteligentes e inovadoras, baseadas em indicadores, para o monitoramento e a vigilância do vetor. Suas aulas eram empolgadas, ocasiões em que instigava seus ouvintes a vencer os desafios. Na FSP participou ativamente na docência, nas inúmeras aulas dos cursos de especialização e de pós-graduação. Formou mestres e doutores, que hoje ocupam destacados postos nas academias de ensino ou no Serviço.

Sua vida científica foi profícua, contanto com 92 artigos completos publicados em periódicos e 52 trabalhos divulgados em encontros científicos. Além dos itens citados, contribuiu com produções técnicas, participações em bancas, palestras, conferências, entre outros. Orientou 16 mestrados e oito doutorados.

Na vertente administrativa, foi por duas vezes chefe do Departamento de Epidemiologia, deixando feitos permanentes na reforma e modernização de laboratórios. As referências às suas realizações, citadas nessas linhas, refletem apenas uma faceta da vida do Professor. Muito além de sua produção acadêmico-científica guardava em seu interior uma essência que refletia sua personalidade.

Dedicado ao extremo às suas responsabilidades, nunca mediu esforços a realizar com perfeição os desafios que abraçava. Os trabalhos de campo lhe empolgavam. Foram incontáveis as viagens que empreendera pelas áreas mais remotas do Brasil para cumprir suas pesquisas. Nessas empreitadas, passava noites e noites ao relento ao coletar, medir e recolher preciosos dados para a compreensão da ecologia de seus insetos.

Conheceu o Brasil, vivenciou suas distintas realidades. Enfático, advertia sempre os Serviços quanto às alternativas de controle que identificava como promissoras a partir de seus estudos. Em sua sala, sempre sorridente, sua marca natural, em meio aos livros e separatas, estava sempre a redigir algum documento ou a aperfeiçoar a escrita para uma nova publicação.

Nem por isso deixava de desprender atenção a quem necessitava de alguma orientação. Procurado constantemente por jornalistas, foi um interlocutor entre a ciência e o público ao lançar suas ideias em inúmeras entrevistas nos jornais e na televisão. Um sanitarista exemplar!

Datas:

Data de Nascimento:
5/1/1942
Falecimento:
14/4/2012

Area de Atuação:

Entomologia Médica, Saúde Pública
Almério de Castro Gomes